20 setembro 2007

ACORDAR CONSCIENCIAS III - Dia Sem Sacos

COIMBRA vai estar de Parabéns:

A Provedoria do Ambiente e Qualidade de Vida Urbana acaba de apresentar ao Município um conjunto de sugestões para fazer com “que Coimbra seja pioneira a nível nacional na tomada de medidas que permitam reduzir o consumo e incentivar a reutilização de sacos de plástico”.

Contra aquilo que designa de “poluição branca”, o provedor incita a implementar um conjunto de medidas a nível municipal nomeadamente, investindo no desenvolvimento de materiais plásticos biodegradáveis, criando uma taxa extra pelo uso de sacos de plástico e acabando com a sua distribuição gratuita, incentivando o uso de sacos de pano reutilizáveis ou caixas de papel e de cartão ou introduzindo os chamados “sacos verdes” (mais resistente e com possibilidade de várias re-utilizações).

Sugere ainda, entre outras acções, a criação do “Dia sem sacos”, à semelhança do que acontece já com o “Dia sem carros”, e a dinamização de exposições e feiras em que os materiais plásticos são reciclados e dão lugar à arte e ao artesanato.


SUPERMERCADOS estão de Parabéns:


Em Abril, a cadeia Modelo e Continente lançou sacos fabricados a partir de derivados de petróleo mas que contêm um aditivo químico que permite que se desintegrem com mais facilidade do que os sacos de plástico tradicionais. Segundo Vítor Martins, director de Ambiente, "este produto providencia a quebra das cadeias de moléculas do plástico que são assim absorvidas mais facilmente pelos microrganismos". Outras grandes superfícies apostam na venda de sacos. Seguindo o exemplo de cadeias de distribuição estrangeiras, o Pingo Doce decidiu passar a cobrar dois cêntimos por cada saco. Rita Sousa Coutinho, directora de Marketing, entende que se trata de "uma quantia simbólica" e garante que a medida tem um único objectivo "reduzir o desperdício". O facto é que, nos primeiros três meses deste ano, a medida permitiu reduzir para metade os sacos consumidos. O que equivale, segundo a empresa, a uma diminuição de 100 toneladas de resíduos plásticos.


Parabéns PLASOESTE e FAPIL:


Em Portugal, a tecnologia dos chamados biopolímeros ainda está em fase de experimentação, mas pode vir a tornar-se realidade. Há mais de 20 anos que a Plasoeste, se dedica ao fabrico de sacos de plástico. Agora, a pedido da Fapil, está a experimentar fazer sacos a partir de fibra de milho e diz que a diferença é muito grande. "O saco tradicional é à base de petróleo que polui o ambiente e o saco de milho é biodegradável. Nasce da terra e nutre a terra." O processo de fabrico passa pelo aquecimento do granulado feito a partir de milho a uma temperatura de cerca de 100 graus. No caso dos sacos de plástico convencionais, a temperatura exigida no processo é superior, o que também significa um maior consumo energético.

É o saco ideal para a recolha de resíduos orgânicos como restos de comida, que podem depois ser encaminhados para centrais de compostagem para fazer adubo.


Entretanto li num Blog que para além dos sacos de milho e de batata, já existem também embalagens de produtos feitos de fibra de milho. Este tipo de embalagem não precisa de ir para o ecoponto. Pode ir junto aos residuos organicos e depositado nos contentores que se destinam à compostagem. PORTUGAL ainda está tão atrasado!!!! Quando é que as mentalidades vão evoluir e o poder politico cumpre o seu dever de educar as populações?

Aqui deixo o simbolo presente nas embalagens Norte-Americanas.

08 setembro 2007

CINEMA PARA TODOS - Calendário de Festivais

Decorreu de 29 Ago a 8-Set-07 a 64ª Mostra de Veneza - O mais antigo festival de cinema internacional. Com muita pena minha, ainda não foi desta vez que voltei à praça de S. Marcos.
A 11ª Edição do Festival de cinema Gay e Lésbico de Lisboa vai arrancar já no próximo dia 14-Set-07 terminando no dia 22 do mesmo mês.Os mais homofóbicos aproveitem para compreender e desmistificar o conceito que têm da homossexualidade.
Um evento a não esquecer é sem dúvida a 8ª Festa do Cinema Francês (de 3 a 15-Out-07).
Sou assídua há 3 anos. Recomendo e recomendo e volto a recomendar. O cinema francês está cada vez melhor. E muitos dos filmes são faládos em Inglês (esta informação é para os fãs de filmes americanos). Mas tudo o resto é francês. Excelentes realizadores e óptimos actores.
No entanto só mesmo o 5º Festival internacional de cinema documental de Lisboa (e o meu Aniversário) é que permitem a Outubro ser um grande mês!
Na CULTURGEST de 18 a 28 Out, o DOCLISBOA 2007 recebe o melhor do cinema real de todo mundo de "braços abertos". Eu estarei lá também, sem falta!! Prometo.
Pena tenho eu que o INDIELISBOA 2008 esteja tão longe.....
Infelizmente só teremos Festival de cinema independente a 24-Abr-08 (até 4-Mai-08).....
Porém, quando não há cinema, há teatro. Em breve publicarei o "TEATRO PARA TODOS". Me aguardem...
É tão bom iniciar o novo ano cultural após a longa ausência de férias :-)))

06 setembro 2007

ACORDAR CONSCIENCIAS II

"Um saco plástico demora 1 segundo a produzir,

utiliza-se durante 30 minutos

e demora 500 anos a decompor-se."

Todos os supermercados, farmácias, lojas de roupa ou acessórios, até mesmo livrarias ou marroquinarias, abusam do uso do saco plástico. Actualmente o saco não serve só para facilitar o transporte mas também para publicitar ou informar sobre meios de contacto (por exemplo).
Em casa já não sabemos onde colocar tanto saco. Uns nem para o lixo servem pois estão furados. Outros são pequenos demais. Outros tantos, largam a tinta em dias de calor e sujam-nos.
Mas nós, raramente recusamos um saco plástico, enquanto for de Borla, não é verdade!
Aqueles que têm a coragem, ou a lembrança de dizer:
- Não obrigado. Pode ficar com o saco plástico pois este produto que comprei cabe, perfeitamente, no saco que já aqui tenho, ou na mala, ou... levo na mão... -
É considerado um individuo muito ESTRANHO! EXCÊNTRICO!
Ser diferente é BIZARRO, caso não saibam.
Há quem se sinta até ENVERGONHADO quando acompanha uma pessoa destas (já me aconteceu, acreditem!).
O primeiro plástico foi inventado em 1862 e desde aí a plasticomania tomou proporções inimagináveis. É tão habitual qualquer coisa que se compre vir envolvida em plástico que já ninguém liga. Tornou-se rotina, algo de muito normal e ninguém questiona:
  • Donde vem o plástico?
  • Para onde vai o plástico?
  • Qual o impacto no meio ambiente?

Pois é..... O plástico na sua maioria vem do petróleo. É feito duma resina sintética originária do petróleo. Os sacos que não são biodegradáveis são feitos de cadeias moleculares inquebráveis e levam muito tempo a desaparecer do meio ambiente.

Para onde vai? Uma parte é canalizada para a reciclagem (pelo menos esta consciência da importância da reciclagem está crescendo grandemente). Outra parte acaba nos aterros sanitários, na incineração ou nas lixeiras. E existe ainda uma outra parte bastante significativa que é levada pelo vento, pelos rios e pelos esgotos que desaguam no mar.

No mar as correntes maritimas vão acumulando o lixo em sitios onde se forma uma lenta espiral. São as lixeiras marítimas, zonas de calmaria chamadas giros subtropicais que são evitadas pelos navegantes. O lixo fica ali rondando lentamente para sempre. E continua a aumentar ano após ano (não me admirava se um dia existisse um continente feito de lixo!).

E será que custa muito levar um saco de pano, uma cesta, ou um saco com rodas às compras?Reutilizar vezes sem conta o mesmo meio de transportar as compras? Recusar um saquinho da farmácia e colocar a caixinha de medicamentos dentro da mala ou trazê-la na mão?

Penso que não, não é um esforço tremento. Julgo que é apenas uma questão de atitude. Ser responsável e consciente é o mínimo que podemos fazer para aguentar o planeta por mais uns séculos e não o deixar morrer, egoisticamente.